quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Paixão


"Os gregos, que sabiam tudo, definiram seis tipos básicos de paixão entre as pessoas.

Elas seriam Eros, Ludus, Estorge, Ágape, Pragma e Mania.

Eros apaixona-se e desapaixona-se com a mesma facilidade; é o amor seguro, não ciumento; o sexo é de vital importância!

Ludus morre de medo de assumir compromissos, para ele, a paixão é apenas um brinquedo; porém faz o estilo Dom Juan: o amante - seja o homem ou a mulher - mostra-se extremamente apaixonado, mas nunca se aprofunda na relação.

Estorge é o amor que nasce da amizade; é calmo e sereno; sem pressa, duradouro!

O solitário Ágape cultiva uma alma de ermitão, uma aura de misoginia; um amor platônico; ao mesmo tempo que ama uma mulher, tem aversão ou antipatia dela!

Pragma, é especialista em dar o golpe do baú; é o amor racional; calcula todos os bens mateiais.

Mania é o amor possessivo, inseguro; insatisfeito; acha que nunca é amado o suficiente!

Enfim, no início de uma grande amizade, pode também, haver uma paixão; ou seja, a fase inicial de encantamento entre as pessoas; pois paixão não é sentimento de amor e desejo carnal só.

A paixão está em qualquer relacionamento entre homem/homem ou homem/coisa; por exemplo:
homem/carro/moto...
adolescente/música electrotécnica...
biólogo/natureza/animais/plantas...
profissional/profissão..."

Mas a paixão, é também efémera. Surge com muita intensidade mas desvanece, perde intensidade e ou se transforma em verdadeiro amor, verdadeira amizade ou fica perdida num momento deixando a sua marca, sempre positiva e viciante.
Paixão é uma fase, um acontecimento seja ele de enamoramento ou qualquer outro.
Mas é e será sempre um incentivo à procura eterna de felicidade.

Sílvia .Q. Sanches 2010