sexta-feira, 21 de março de 2014

O Eu Livre

“Se quereis ser livres, conhecei o vosso eu real. Ele não tem nenhuma forma, nenhuma aparência, nenhuma raiz, nenhuma residência, mas é cheio de vida e alegre. Responde com uma facilidade versátil, mas a sua função não pode ser localizada. Assim, quando o procurais, afastais-vos dele, quando o buscais apartais-vos, ainda mais, dele.” 

 Mestre Zen Linji (Cleary, 2002)
 A Essência do Zen – Thomas Cleary - Editirial presença